Fatores importantes para implementar um sistema de irrigação

Utilizar um sistema de irrigação é fundamental para que a produção ao longo do ano tenha resultados positivos, independentemente do que seja plantado. Isso deve ser feito principalmente em regiões onde há sazonalidade de chuva ou escassez de água, especialmente porque produtos agrícolas sempre têm uma demanda maior, pois são fornecidos em praticamente todas as regiões do país.

Quando um sistema de irrigação é implementado sem planejamento e entendimento, podem ocorrer grandes prejuízos não só para o plantio, mas também para o próprio agricultor — que investiu em equipamentos ou mão-de-obra qualificada antes de conhecer de fato o método ideal para o seu tipo de produção.

Além disso, é importante destacar o desperdício de energia, com mão-de-obra no dia a dia e a perda dos produtos que necessitam de irrigação. Pensando nestes problemas, no post de hoje vamos trazer algumas dicas essenciais sobre o que fazer para implementar um projeto que de fato auxilie na sua irrigação, contribuindo para o melhor fortalecimento dos produtos agrícolas. Acompanhe!


Se atente aos custos de energia e combustível 

O sistema de irrigação funciona à base de um motor que bombeia a água até o plantio. O equipamento pode funcionar utilizando energia elétrica ou combustível. Desta forma, se houver algum erro na gestão dos recursos, consequentemente serão gerados desperdícios de energia e água, além de comprometer a produtividade da propriedade rural. 

Pensando nisso, é necessário levar em consideração o custo gasto com a energia elétrica em seu orçamento e quanto pretende ou pode investir. Ademais, devem ser observados os períodos no qual as usinas hidrelétricas funcionam em bandeira vermelha (quando o kilowatt/hora é mais caro).

Uma das formas de solucionar o problema é utilizar o equipamento nos horários em que as tarifas de energias possuem custos mais baixos, como a madrugada. Muitas distribuidoras de energia são compostas por programas de incentivo para que os produtores recorram a bombas e motores entre 21:00 e 06:00, cujo objetivo é justamente não sobrecarregar o sistema e oferecer redução de custos ao agricultor.
 

Utilize água sustentável 

Outro aspecto que também deve ser considerado é a utilização da água para irrigar a plantação, bem como a sua disponibilidade. Dito isso, a qualidade de água ou conflito que pode ser ocasionado com o seu uso também devem ser analisados, pois a bacia hidrográfica de uma divisão territorial é de uso comum da população.

Assim como seres humanos, as plantas também devem receber água de boa qualidade. Com isso, a água utilizada para a irrigação do plantio deve ser avaliada para determinar teores de sais, materiais em suspensão e a presença de agentes patogênicos, pois esses fatores podem ocasionar na escolha do sistema e da cultura que será implantada.

Após realizar este processo, o manuseio adequado precisa de um planejamento minucioso da propriedade, o que inclui também a fonte de recursos hídricos e o volume de água que deve ser armazenada. Contudo, para que o produtor tenha noção da quantidade de água, ele precisa obter os dados como:
 
  •  características do solo e da planta;
  •  dados sobre as condições ambientais como evapotranspiração;
  •  quando e como irrigar.

No caso do solo, o produtor deve pensar em qual sistema de irrigação deve investir, pois é dele que as plantas obterão os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Neste caso, depende, por exemplo, da necessidade de infiltração da água, isto é, a forma como ocorre a entrada de água através da sua superfície.

Portanto, ao levantar todas essas informações é possível evitar desperdícios de recursos hídricos, já que essa situação pode acabar comprometendo a sustentabilidade de diversas regiões. Por fim, este cuidado também contribui para minimizar eventuais prejuízos causados pelo manuseio incorreto do sistema, evitando a geração de danos para toda a produção do agricultor. 


Implante um sistema de irrigação tecnológico

Os equipamentos tecnológicos atualmente têm sido muito benéficos para diversos setores do mercado, inclusive a agricultura. Para aumentar o processo de produção devido à oferta e demanda, muitos produtores têm buscado maneiras de ampliar o processo de crescimento do seu plantio, gerando maior valorização em seu negócio. 

Aderir aos equipamentos modernos no sistema de irrigação, permite ao produtor inovar e muitos desses profissionais já estão utilizando aparelhos para ajudar no controle da irrigação. Além do mais, muitos equipamentos tecnológicos contribuem para a captação de informações que são fundamentais para a tomada de decisão, por exemplo.

Os agricultores também podem encontrar alguns sistemas e serviços disponíveis que os auxiliam com dados mais detalhados sobre o processo do sistema de irrigação. De modo geral, a intenção é a utilização de satélites, processamento de dados, sensores e sistemas inteligentes que geram o máximo de informações possíveis.

Apesar disso, por serem tecnologias inovadoras, alguns agricultores podem sentir incompatibilidade com o sistema por não terem familiaridade tanto no manuseio quanto na interpretação das informações. Logo, para poderem ter conhecimento, pode ser necessária a capacitação na área.
 

Realize a manutenção e calibração do sistema de irrigação

Quando se trata de equipamentos ou sistemas, é fundamental que o usuário realize manutenção para continuar funcionando adequadamente — e com o sistema de irrigação implantado pelo produtor não é diferente. Embora o manuseio e a implantação deste sistema tenha sido realizado da forma correta, os aparelhos devem receber manutenção para garantir sua durabilidade e eficiência. 

Um exemplo disso é a utilização do pivô central. Este sistema é muito empregado em lavouras por cobrir áreas mais extensas. Sustentado por torres com formato de “A” e possuem rodas em sua base, que auxiliam os seus movimentos, essas rodas merecem uma atenção maior, pois se não houver manutenção podem atolar no solo molhado ou estragar. 

Apesar disso, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), dados dos últimos Censos Agropecuários do IBGE reforçaram o aumento deste equipamento. Os pivôs expandiram-se sobre 542 mil hectares entre os levantamentos de 2006 e 2017 — aumentando sua participação de 19,6% para 20,8% comparado aos demais métodos e sistemas levantados pela pesquisa.

O que deve ser levado em consideração também é a calibração dos aspersores, pois como são utilizados constantemente, podem ficar desregulados e oferecem um volume desproporcional de água, o que acaba comprometendo o funcionamento do sistema e na produtividade da lavoura. 

Agora os que utilizam sistemas por gotejamento, é importante a utilização de filtros de proteção, visto que protegem e garantem que os gotejadores não tenham entupimento em suas saídas. Já nos sistemas de irrigação por gotejamento, utilizar os filtros de proteção é essencial para garantir que os gotejadores não sofram com entupimentos, dando atenção se a água contiver partículas desalinhadas.
 

Escolha por uma irrigação inteligente

Ao utilizar a irrigação inteligente é uma técnica de manuseio que favorece o fornecimento de água e nutrientes de modo a controlar a plantação e sua produção. A intenção maior é fazer com que a irrigação situada proporcione água onde realmente seja necessária, ou seja, nas raízes das plantas. 

Desta forma, esse sistema permite que os nutrientes e a água sejam direcionados na quantidade e momento propício. Os produtores devem pensar na cultura de sua produção e nos ciclos de cada uma. O benefício maior disso é a planta se alimentar por mais vezes e em quantidade menores, o que contribui ainda mais na absorção dos nutrientes de forma saudável. 

A irrigação inteligente é vantajosa, pois proporciona oportunidade de produzir mais em menos e eficiência na produção da lavoura. Outro fator considerado é a economia de água, mas está cada vez mais específico em algumas regiões.
 

Conclusão

Após analisar todos os fatores importantes neste artigo, sem dúvida o seu sistema de irrigação será eficiente. Vale ressaltar que o processo de manuseio correto é ideal para que a sua produção saia como planejada e não haja desperdícios e nem prejuízos.

A irrigação é fundamental para manter o crescimento do plantio e contribuir para a disponibilidade de alimentos e outros produtos agrícolas, pois esses produtores podem conseguir atender a demanda dos seus clientes e fornecer o maior número possível dos seus produtos saudáveis em diversas regiões. Além disso, os alimentos também terão qualidade maior e padronização. 

Implantar esse sistema também se faz necessário pelo fato de diminuir os custos de produção e viabilizar maior rentabilidade aos produtores, o que também facilita na exploração agrícola em regiões de clima árido ou semiárido, reduzindo perdas na produção. É válido lembrar também que para a implantação deste sistema o tipo de solo pode influenciar na escolha dele.

Ademais, o processo aumenta a produção agrícola (de 2 a 3 vezes superior à produção da agricultura que depende da chuva), proporciona a diversificação de culturas e estimula a introdução de novas tecnologias, mas é fundamental estar capacitado e compreender todo o funcionamento dos elementos primordiais para uma irrigação eficiente. 

Os produtos têm diversas opções de irrigação e podem optar por aquela que seja propícia ao seu tipo de solo e produção. O investimento nesse elemento, como mencionado, fornecerá um aumento em seus negócios por utilizar uma irrigação automatizada, oferecendo produtos mais saudáveis e essenciais para melhor aproveitamento pelos seus consumidores.