O que é e como funciona a fertirrigação?

Para diversos produtores rurais, a procura por formas de aumentar a produtividade é um passo de extrema importância, sobretudo diante da necessidade de tornar sua propriedade mais lucrativa, além de proporcionar mais qualidade e eficiência ao seu plantio. 

Nesse contexto, é natural que sejam empregados diversos tipos de tecnologias que possam dar maior suporte, principalmente porque boa parte delas é extremamente promissora no setor agropecuário.

Para atingir o seu objetivo de manter o cultivo mais saudável, respeitando seu potencial e oferecendo melhor qualidade dos produtos, o uso de sistemas de fertirrigação pode ser um excelente aliado. 

Portanto, se não sabe o que é ou como funciona, veio ao lugar certo. Neste post vamos mostrá-lo os principais pontos desse tipo de sistema, bem como quais as suas vantagens e como beneficiar-se dela. Boa leitura!


O que é fertirrigação?

A fertirrigação é um sistema que permite aos produtores realizarem a adubação com o uso da água dosada da irrigação para acelerar o processo que leva nutrientes até a raiz da planta, garantindo, assim, o cultivo de qualidade e com uma alta produtividade.

Na aplicação comum, por exemplo, os fertilizantes são inseridos diretamente no solo. Com isso, o processo de plantação demanda uma irrigação específica ou, ainda, da boa disponibilidade de chuva, já que assim os nutrientes podem aderir melhor ao solo.

Em termos práticos, esse sistema pode promover tanto produtividade quanto qualidade na lavoura, uma vez que estimula o crescimento das plantas, principalmente em regiões onde há grande falta de chuva — fato este que acaba prejudicando o desenvolvimento do plantio.


Como funciona a fertirrigação?

O produtor pode realizar a fertirrigação por meio de alguns sistemas, sendo os principais deles a irrigação por gotejamento ou a microaspersão. Dessa forma, os fertilizantes podem ser melhor dissolvidos na água.

Nesse contexto, o mais recomendado é que seja utilizado o sistema de gotejamento, afinal, por meio dele é possível ter maior adesão dos nutrientes no solo. Porém, aos produtores responsáveis pelo plantio de árvores frutíferas, recomenda-se a fertirrigação por meio da microaspersão, pois ela permite uma melhor umidificação do solo, estendendo assim a área de utilização.


Quais as vantagens da fertirrigação?

A fertirrigação pode proporcionar inúmeros benefícios ao produtor que pretende garantir melhorias à sua lavoura e também trazer qualidade para a cultura por meio de técnicas de irrigação mais solúveis, isto é, que estimulem a penetração de nutrientes diretamente nas raízes da planta, sobretudo quando se comparada às aplicações convencionais.

Entenda mais sobre estes benefícios, a seguir.


Independe da ocorrência de chuvas

A partir deste sistema “via solo”, o fertilizante sólido é dispersado próximo à planta, nesse sentido, depende da chuva ou da irrigação para ter melhor adesão ao solo. Devido a essa dependência, o fertilizante pode não se aprofundar de maneira adequada, haja vista que também existem influências relativas à intensidade da rega ou da chuva.

Logo, é possível que os nutrientes encontrados no adubo tenham falha no seu propósito de chegar até o sistema radicular das plantas. Como consequência, a fertilização se tornaria menos eficiente. 


Penetra facilmente em locais com muitas raízes

Outro problema no processo produtivo está diretamente relacionado aos locais em que não há uma concentração de raízes. Isso porque, nesses casos, a aplicação do produto pode ser comprometida, o que tornaria o desenvolvimento ainda mais difícil.

Por outro lado, com a utilização da fertirrigação, já que o fertilizante pode ser diluído na água, a solução adentra no solo de maneira igualitária, como mencionado, ocupa todo o sistema radicular da planta, auxiliando diretamente na absorção dos nutrientes, ocorrendo assim de forma mais rápida e eficiente.


Conservação do solo 

A fertirrigação é uma técnica que também pode ajudar na conservação do solo, uma vez que reduz o excesso de trabalho manual e evita a lixiviação. Em termos práticos, isso significa menor incidência de processos erosivos que são provocados pela lavagem da superfície do solo, geralmente como um reflexo do escoamento de águas superficiais.

Além disso, no caso em que os solos não possuem uma cobertura vegetal de proteção, diminui-se consideravelmente o grau de fertilidade da terra no longo prazo. Portanto, adotar a fertirrigação pode minimizar esse tipo de ocorrência, tornando a sua propriedade com uma melhor vida útil.


Reduz custos e otimiza resultados

Outro ponto considerado positivo da fertirrigação é a redução de custos, especialmente se comparados à aplicação convencional. Dessa forma, investir nessa técnica é ter uma garantia de economia tanto de mão de obra quanto nos próprios fertilizantes.

Na fertilização, embora realizada com frequência e eficiência, também otimiza resultados. A técnica já é utilizada há, pelo menos, três décadas no Brasil e, por isso, o acesso aos produtos é melhor já que pode ser mais facilmente encontrado.


Como funciona a irrigação?

A irrigação é comum em regiões em que há grande concentração de lavouras ou mesmo em jardins que utilizam o sistema para regar plantas. Essa técnica permite que o cultivo receba água de qualidade para ajudar no desenvolvimento das plantas.

No entanto, como mencionado, é comum ocorrer de os nutrientes não chegarem de forma eficiente até as raízes, atingindo diretamente na produtividade — o que não é o caso de jardins, já que são plantas que não necessitam tanto de vitaminas presentes no solo.

Embora seja um sistema bem antigo, ainda é utilizado pela maior parte dos produtores por ser convencional, mas, para ampliar a produtividade, muitos deles optam pela fertirrigação, já que é muito mais benéfico e proporciona uma qualidade maior aos cultivos.

Por ser uma técnica com investimento elevado, a irrigação deve ser feita em culturas no momento e quantidades adequadas. Assim, os produtores tendem a optar pela fertirrigação por ela trazer mais benefícios.


Como realizar a fertirrigação?

O sistema de fertirrigação deve ser aplicado na sua propriedade com o auxílio de um profissional especializado na área, pois são inúmeras formas de aplicação dessa técnica. Sendo assim, cabe a esse tipo de profissional indicar o melhor método para o seu tipo de terreno.

Esse técnico poderá auxiliá-lo melhor em relação aos equipamentos mais oportunos, bem como em relação às necessidades do solo ou de quais plantas utilizarão os fertilizantes apropriados.

É importante ressaltar que, o uso desse tipo de produto, quando em excesso, pode danificar a lavoura. Por isso, não se esqueça de contatar com o suporte de um profissional até mesmo para indicar as quantidades necessárias para cada uma das suas culturas.


Quais nutrientes utilizar?

Em via de regra, os principais nutrientes utilizados no processo de irrigação são o potássio, fósforo e nitrogênio. Por outro lado, tratando-se da solubilidade, o uso de uréia, sulfato de amônio ou de nitrato (nitrogênio), bem como o cloreto de potássio branco (potássio) proporciona restrições importantes em relação à sua aplicabilidade na água em que se ativa a fertirrigação.

Nesse contexto, havendo a compatibilidade entre os nutrientes, ou se tratando de uma fórmula que contenha maiores níveis de sódio (sal), essa combinação poderá incorrer em eventuais entupimentos ao longo da fertirrigação.

Na tabela abaixo, é possível conferir a compatibilidade entre os nutrientes:



Fonte: fertirrigação e reúso de efluentes SENAR

Nutrientes/pH x solo/planta:




Fonte: fertirrigação e reúso de efluentes SENAR

Como é apresentado na tabela anterior, o pH ideal para o solo está entre 6.0 a 7.0. Nesse sentido, o produtor pode fazer a medição com o auxílio de um pHmetro desde que siga as instruções de um engenheiro agrônomo.


Composição estrutural

Agora que você sabe o que é fertirrigação e como funciona, é importante entender também como se dá a composição estrutural desse tipo de sistema. De modo geral, a fertirrigação é composta por uma:
  •    bomba injetora, no qual aplica-se os fertilizantes;
  •    válvula de retenção, que auxilia o bloqueio do fluxo inverso da água;
  •     válvula de alívio, cuja função é minimizar eventuais deformações ocasionadas pelo vácuo gerado no processo de desligamento do fluxo de irrigação;
  •     injetor por pressão, utilizado para aumentar a velocidade do processo;
  •     tanque ou reservatório de solução, que serve para acondicionar os produtos químicos, estando também atrelado a um sistema integrado de agitação;
  •     filtro de linha que impede a obstrução de materiais excêntricos no sistema de aplicação;
  •     registro de apoio a drenagem da solução na tubulação.


Conclusão

Com as dicas que apresentamos no texto de hoje, é possível que você inicie um projeto de fertirrigação com maior embasamento técnico. Entretanto, para alcançar a produtividade esperada e o crescimento planejado, é preciso dedicar-se ao processo, já que por meio desses cuidados garante-se melhor proficiência à sua lavoura, além de assegurar também inúmeros benefícios à sua cultura.

Ademais, destaca-se também a necessidade de acompanhamento técnico com um especialista responsável pela fertirrigação da sua propriedade. Assim, será possível acompanhar melhor o desempenho deste sistema, além de receber algumas orientações que podem ser essenciais para a sua cultura. Por fim, trata-se de um cuidado indispensável para quem deseja ter máxima eficiência no seu negócio.

O que achou do nosso post? Se gostou das informações apresentadas, mas ainda tenha ficado com alguma dúvida em relação ao processo da fertirrigação, não deixe de falar conosco através da caixa de comentários abaixo. Se preferir, você também pode acompanhar outros conteúdos que compartilhamos em nosso blog para manter-se atualizado sobre as novidades do setor.