O que são e quais as vantagens de utilizar um pivô central?


Dentre outros fatores, a irrigação é um dos elementos que mais contribuem para o aumento da produtividade em diferentes tipos de cultura. Não tão raro, essa técnica pode ser observada na história da agricultura de diferentes povos, sobretudo nos primórdios da civilização humana.

Entretanto, apenas a aplicação da irrigação, por si só, é insuficiente para o favorecimento de qualquer plantação, uma vez que deve-se planejar e estudar qual, dentre os diferentes métodos de molhar as plantas é de fato adequado para atingir as necessidades de cada tipo de cultivo.

No meio das ferramentas mais comuns, pode-se destacar o pivô central como excelente método para suprir a carência de água em regiões plantadas. Mas, afinal, o que é, quais são os formatos mais utilizados, vantagens e desvantagens deste sistema? Para entender mais sobre o assunto, basta continuar sua leitura!


Qual o papel da irrigação em áreas cultivadas?


A irrigação é, em termos simples, uma estratégia utilizada para fornecer água para o cultivo de plantas. Com o passar do tempo, essa técnica tem sido amplamente alterada, de modo a suprir as necessidades de produtividade e sustentabilidade, especialmente em razão do surgimento de novas tecnologias.

De modo geral, faz parte dos objetivos da irrigação de áreas plantadas ampliar a produção, isto é, aumentar o lucro, permitir uma melhor aplicação de insumos para a evolução saudável do cultivo, diminuir perdas de produção, bem como reduzir o impacto do clima sobre a cultura, como os períodos de seca.

Além disso, a irrigação de fato eficaz também possibilita uma colheita mais próspera e até mesmo o desenvolvimento de atividades agropecuárias. Ressalta-se, porém, o fundamental papel dos mecanismos utilizados para irrigação, sendo os mais comuns o uso de aspersores, microaspersores, gotejadores, etc.


Afinal, o que é um sistema de irrigação por pivô central?


O pivô central nada mais é do que parte de um sistema de irrigação que consiste no fornecimento de água (e energia elétrica) para o desenvolvimento das plantas em grandes áreas cultivadas.

Esse sistema se caracteriza pelo uso de torres suspensas alimentadas por rodas e motores que giram à volta de um ponto central, também chamado de pivô. Conforme vai ocorrendo o deslocamento da linha lateral presente no pivô central, borrifa-se água sobre toda área cultivada.


Principais formatos de pivôs de irrigação


Existem alguns modelos de pivô de irrigação, dotados de características e aplicabilidades distintas. Confira, a seguir, quais são os principais:


Pivô linear


Desenvolvido para ser aplicado em áreas de formato mais retangular e mínimos desníveis no terreno, o pivô linear consiste em um equipamento cujos movimentos estão limitados a direções retilíneas, promovendo uma irrigação completa de toda área cultivada. Outra vantagem desse método é a possibilidade de pulverização de fertilizantes junto com a água de modo mais preciso, eficiente e rápido.
Indicação: cultura de grãos, cana-de-açúcar; áreas planas.


Pivô central fixo


Instalado sobre uma base de concreto adequadamente posicionada ao meio da área cultivada, o pivô central fixo conta com equipamento mais robusto e, por isso, pode ser mais facilmente aplicado em diferentes tipos de topografia ou solo. Dentre as vantagens desse sistema, destaca-se a possibilidade de regular o tamanho da área a ser irrigada.
Indicação: culturas de verduras, legumes, cana-de-açúcar e frutas como bananas e mamões.


Pivô central rebocável


O pivô central rebocável se trata de um equipamento mais versátil, haja vista que a partir do seu deslocamento sobre a área a ser molhada pode-se abranger múltiplos setores de uma mesma propriedade. Equipado com rodas, o pivô rebocável pode se deslocar facilmente em diferentes tipos de terrenos, incluindo aqueles em que há um desnível mais acentuado.
Indicação: culturas localizadas em terrenos irregulares ou que demandam uma instalação mais simples e rápida.
 

Quais as vantagens e desvantagens do pivô central na irrigação?


De fácil operação, os pivôs de irrigação oferecem aos produtos uma excelente economia, especialmente no que concerne o uso de água ou de energia elétrica. Boa parte dos equipamentos disponíveis no mercado dispensam manutenções periódicas ou mão de obra qualificada, o que torna seu custo ainda mais acessível.

Outra vantagem é que esse modelo de irrigação consiste na aspersão de água em áreas mais amplas, já que os pivôs são capazes de atravessar uma distância considerável — além de favorecer ainda a aplicação de fertilizantes e demais defensivos agrícolas.

Por outro lado, apesar de atuar diretamente na maior produtividade de determinada plantação, investir nesse tipo de sistema pode ser inacessível para uma parcela considerável de pequenos e médios agricultores, haja vista o alto investimento inicial. Além disso, embora não exija tantos cuidados, as manutenções preventivas também podem onerar o produtor.

Em contrapartida, tendo em vista os benefícios trazidos pelo sistema e a necessidade de economia proposta pela escassez hídrica, utilizar o pivô central pode ser um grande diferencial para os produtores rurais. Portanto, se gostou deste post, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais!